Espanha: polícia amplia perseguição aos imigrantes

10/05/2012 20:49

 

Os policiais espanhóis receberam uma meta de prisões de estrangeiros em situação ilegal no país. O número chega a 80 por dia na capital Madri. A procura por imigrantes virou rotina em bares com nomes estrangeiros, nos principais locais de concentração de imigrantes e nas estações de metrô e ônibus, onde há grande circulação de pessoas.

Esteban Ibarra, presidente da ONG Movimento Contra Intolerância, contesta: “O pedido de documentação é feito por diferenciação racial, e isto é crime. Os policiais podem deter os ilegais, mas não têm o direito de sair caçando quem não pareça espanhol”.

Em 2004 a lei sobre estrangeiros na Espanha sofreu uma mudança. Desde então, seria permitida a prisão de ilegais.

Para evitar a polícia, os imigrantes procuram não andar pelo centro de Madri. Em entrevista à imprensa espanhola, o turco Enver Ozdemir disse: “Tento não ir aonde todos circulam, porque sei que ali alguém pode pedir meu documento… Mas não adianta. Eles [os policiais]aparecem por todos os lados”.

Tamanho o absurdo e a intolerância que até alguns membros do próprio Sindicato Unificado de Polícia criticam tal lei: “Sofremos pressão para cumprir uma meta mensal. Aqueles que não a atingem ficam com os piores turnos. Os outros chegam até a conseguir dias livres”, afirmou o representante do sindicato José Benito.

A maioria dos estrangeiros ilegais é detida na capital. O número chega a 80 pessoas diariamente na Comunidade de Madri, que equivale a todo o estado de Madri e não somente a cidade.

No dia 3 de maio foi postado no Youtube um vídeo que mostra um jovem imigrante sendo agredido por agentes da Guarda Civil de Villalba. Os internautas que postaram o vídeo denunciam que querem retirá-lo do ar com denúncias falsas sobre “violação de privacidade”.

fonte:http://anovademocracia.com.br/blog/?p=3413