Estudantes ocupam a diretoria acadêmica da Unifesp Guarulhos

05/05/2012 10:20

 

Os estudantes do campus de Guarulhos da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), cansados pelo descaso da reitoria, estão há 42 dias em greve. Em assembleia realizada no dia 3 de maio, cerca de 150 estudantes, em plenária do comando de greve, decidiram ocupar a diretoria da da Escola de Filosofia, Letras e Ciência Humanas (EFLCH) para pressionar uma negociação.

A decisão foi tomada após a Congregação (órgão máximo de decisão no campus) ter decidido apoiar a abertura de um processo de sindicância contra os estudantes em greve. A PRAE (Pro-Reitoria de Assuntos Estudantis) fez essa ameaça, endossado pelos professores da EFLCH. O absurdo é tanto, que tais professores, assumiram que: “Caso a PRAE decida deixar o processo, os próprios professores o conduzirão”.

Com este tipo de atitude, a situação ficou mais crítica, somado a ironia do reitor, que disse: “Só sentará para negociar, se os estudantes acabar com a greve”, o que, para muitos, acreditam ser uma forma debochada dessa reitoria querer acabar com o movimento.

Na Assembleia, que foi realizada no campus, foi apresentada a proposta de ocupação da Diretoria e a continuidade da reunião, proposta que foi aprovada e defendida pela maioria dos presentes e foi imediatamente colocado em prática e avisado aos funcionários, que se retiraram das salas. A Assembleia teve a sua continuidade. O Comando de Greve fez a divisão das tarefas à todos os participantes do movimento.

A GCM (Guarda Civil Metropolitana) compareceu na portaria, de maneira intimidativa, querendo falar com o Comando de Greve, alegando: “Estamos aqui para garantir a segurança dos funcionários”, mas logo foram embora. Há rumores afirmando que o pró-reitor Leduíno entrou em contato com um estudante, dizendo que estará nessa sexta-feira no campus para uma reunião. Segundo informação do Diretor Marcos Cesar Freitas, a PM não havia sido chamada.

Fonte:http://anovademocracia.com.br/blog/?p=3373