Estudantes se rebelam no México

05/05/2012 10:29

 

Estudantes mexicanos que protestavam em Morelia, capital do estado de Michoacán, enfrentaram a polícia no último sábado, dia 28 de abril. Eles exigiam financiamento do governo local para que pudessem retomar o acesso a albergues universitários dos quais haviam sido despejados. Segundo veículos de imprensa locais, 198 pessoas foram presas, mas os manifestantes afirmam serem 240, muitos delas covardemente espancadas.

Os estudantes, usando máscaras para não serem identificados, incendiaram duas viaturas, lançaram coquetéis molotov e queimaram colchões em um albergue para deter o avanço da polícia.

Desde o dia 26 de abril que o clima já era tenso em Morelia, quando membros da Coordenadoria dos Universitários em Luta se mobilizaram para exigir às autoridades um orçamento para a ida aos povoados mais pobres do estado, com o intuito de divulgar a atual convocatória da entrada na Universidade Michoacana de San Nicolás de Hidalgo.

A ação policial para deter as mobilizações teve início na madrugada do dia 28, quando agentes do Grupo de Operações Especiais (GOE) investiram contra os estudantes que dormiam nas Casas do Estudante “2 de Outubro” em Nicolaíta, no centro histórico de Morelia.

Fausto Vallejo, governador de Michoacán, deu sua declaração fascista alegando que “a polícia agiu dentro da lei ao expulsar alunos dos três albergues na manhã de sábado”. Imagens divulgadas na internet mostram vários estudantes sentados no chão em bloco, rodeados pela tropa de choque e com ferimentos de cassetetes nas costas.

“Aqui se violou a autonomia universitária e como é de praxe, o reitor, Salvador Jara Guerrero, afirmou que não aconteceu nada, ainda que a polícia tenha entrado com armas nas casas da Universidade”, afirmou um estudante à imprensa mexicana.

O local possui 36 albergues com uma população de mais de 5 mil estudantes.

 

Fonte:http://anovademocracia.com.br/blog/?p=3329